• Moringa Premium você encontra para comprar na Naturemed. A Moringa Premium trás um valor nutricional muito superior a outros suplementos alimentares, além de levar várias vantagens como, mais vitaminas, mais potássio, mais saúde.
    God Green
    Product ID: 909
    Product SKU: 909
    New In stock />
    Moringa Premium - 60 Tablets - God Green
    • -21% OFF
    Moringa Premium - 60 Tablets - God Green

    Moringa Premium - 60 Tablets - God Green

    De:R$69,90
    Por: R$ 54,90
  • Moringa Top da God Green você encontra para comprar na Naturemed. A Moringa Top trás um valor nutricional muito superior a outros suplementos alimentares, além de levar várias vantagens como, mais vitaminas, mais potássio, mais saúde.
    God Green
    Product ID: 905
    Product SKU: 905
    New In stock />
    Moringa Top - 60 Tablets - God Green
    • -21% OFF
    Moringa Top - 60 Tablets - God Green

    Moringa Top - 60 Tablets - God Green

    De:R$69,90
    Por: R$ 54,90
  • Cálcio MDK (Magnésio, Vitamina D e K) você encontra para comprar na Naturemed. O Cálcio MDK (Magnésio, Vitamina D e K) é composto por cinco tipos de suplementos alimentares diferentes, que se tornam um poderoso vitamínico para o corpo.
    NatusDay
    Product ID: 901
    Product SKU: 901
    New In stock />
    Cálcio MDK 60 Cáps - 1400mg - NatusDay
    • -22% OFF
    Cálcio MDK 60 Cáps - 1400mg - NatusDay

    Cálcio MDK 60 Cáps - 1400mg - NatusDay

    De:R$45,90
    Por: R$ 35,90
  • Suplemento Mineral Zinco você encontra para comprar na Naturemed. Zinco que participa da construção e da absorção de proteínas, carboidratos e gorduras com ação antioxidante sobre as células.
    Melcoprol
    Product ID: 260
    Product SKU: 260
    Zinco - Suplemento Mineral - 100 cáps. - 250mg - Melcoprol
    • -23% OFF
    Zinco - Suplemento Mineral - 100 cáps. - 250mg - Melcoprol

    Zinco - Suplemento Mineral - 100 cáps. - 250mg - Melcoprol

    Esgotado!

Zinco

 

Desde a primeira revolução industrial no século XVIII, o nível produção do homem foi ampliado em larga escala, passando por diversas modificações, como fordismo, taylorismo, Toyotismo ou novos processos, como a segunda e terceira revolução. Com isso, neste último, o desenvolvimento da biotecnologia favoreceu, por exemplo, a suplementação de minerais, como o Zinco.

 

Assim, as indústrias, atualmente, fornecem vantagens aos necessitados, por meio da venda de Zinco em forma de cápsulas ou em pó, para aqueles que carecem do respectivo mineral. No artigo de hoje, iremos detalhar sobre como as pessoas utilizam a Vitamina de Zinco no dia a dia, quais são seus papéis e como consumir cuidadosamente este produto.

 

O que é Zinco?

A priori, o Zinco é um elemento na tabela periódica de número atômico 30, com massa atômica de 65,4 gramas, situado na família 2B reconhecido também como sal mineral, presente na forma de componente de certos alimentos, que são essenciais para nossa vida. Normalmente, por ser um tipo de “metal”, é encontrado na forma sólida dentro da natureza, podendo também ser aproveitado de outras maneiras.

 

O metal do zinco é utilizado por centenas de anos, devido às peças de latão usadas pelos gregos, por volta de 3000 anos atrás. Em Israel, por exemplo, já foram encontrados mais de 1000 compostos que continham cerca de 80% do metal referido em suas composições, perto da antiga área da Transilvânia.

 

Aprofundando um pouco mais, o zinco é utilizado como síntese de ligas metálicas importantes para o cotidiano da humanidade. Na indústria química, por exemplo, pode ser usado como metal de sacrifício para formação de aço, no qual evita diretamente a corrosão dos elementos componentes, por ter um dos maiores níveis de oxidação (reatividade com Oxigênio).

 

Qual a função do Zinco?

Como o zinco é um mineral essencial (o organismo não o produz e é adquirido apenas por fontes externas), sua ausência nas alimentações pode ser prejudicial à saúde, pois, este sal mineral possui aproximadamente 100 enzimas dependentes de suas funções, para realizar reações químicas que envolvem várias áreas do corpo.

 

As enzimas, em geral, são proteínas que servem como aceleradores de reações e processos químicos no organismo, ou seja, funcionam como catalisadores naturais, em que o metabolismo produz suas necessidades de forma mais efetiva em relação ao tempo. Como cada enzima possui uma especificidade, é impossível substitui-la.

 

Logo, o zinco funciona como uma “chave” para esses protagonistas celulares. Portanto, sem ele, é possível compreender a gravidade dos danos que podem surgir. Ele também possui funções no sistema imunológico e síntese de adn, importante componente do DNA no nosso corpo. Ajuda protetores solares serem mais eficientes e participa de reações eletrolíticas das células.

 

Quais os tipos de Zinco?

A viração de produtos de zinco é algo que se pode observar dentro do mercado de produtos naturais, especialmente na área de nutrição e suplementação. A variedade de cápsulas produzidas por diferentes compostos químicos é extensa, o que torna necessário uma pesquisa e consulta, para saber qual suplemento é o mais adequado para seu problema.

 

Como vimos, existem diversas razões para a suplementação de zinco, como deficiência no sistema imunológico, enfermidades que envolvem circulação sanguínea como Diabetes e hipertensão, controle na nutrição de pele e colesterol alto, saúde do couro cabeludo, entre outros. Veja a seguir, os principais tipos de zinco e quais são seus detalhes;

 

Nistatina com óxido de zinco

O que é? A pomada de nistatina com óxido de zinco é um produto que possui uma vitamina juntamente com o composto químico, derivado do metal zinco. Ele é obtido por reações química de adição, no qual o oxigênio possui uma carga bivalente negativa (O -2) e o Zinco obtém carga positiva bivalente (Zn +2).Com isso, o composto gerado possui certa estabilidade, gerando a molécula de fórmula “ZnO”. Devido sua dupla ligação entre os dois átomos, ainda é possível acrescentar a Nistatina, obtendo uma triangulação na fórmula química estrutural. Dessa forma, a riqueza em benefícios do produto é aumentada.

 

Para que serve? O produto que obtiver nistatina com óxido de zinco pode melhorar na questão de queimaduras e assaduras. É utilizado na medicina, principalmente por obter certas reatividades com essas regiões afetadas, causando uma cura acelerada e maior cicatrização, devido à semelhança com a vitamina C nessa propriedade cicatrizante. Outras utilizações da nistatina com óxido de zinco são nos tratamentos que envolvam irritação da pele e casos de acne ou eczema, já que possui características que beneficiem e nutrem o tecido epitelial do consumidor, fortalecendo e regenerando as células desse tecido, que são responsáveis pelo revestimento de nosso corpo.

 

Como usar? Para tomar o medicamento de nistatina com óxido de zinco, primeiro é indicado que seja recomendado por um médico, especialmente dermatologistas. Isso porque o uso desse produto pode apresentar efeitos colaterais se não for usado nas dosagens corretas, além de ter contraindicações para determinadas pessoas. No entanto, quando é receitada, é indicado o uso de pequenas quantidades de pomada na pele lesionada por queimaduras ou inflamações. Porém, não existe a necessidade de cobrir totalmente a região com a pomada, deixando-a branca. É preciso que a substância apenas se infiltre no local, com absorção efetiva.

 

Óxido de zinco

O que é? O Óxido de Zinco é o composto química de fórmula ZnO, como falamos acima, resultado da corrosão do zinco com algum metal, geralmente pelo oxigênio presente na atmosfera. Ele, normalmente, é encontrado na forma de pó, com grãos bastante finos e insolúveis em água. Assim, obtém-se e encontra-se esse óxido. É usado como principal ingrediente para pomadas e cremes destinadas à recém-nascidos, com finalidade de impedir irritações e inflamações na pele da criança. O uso de óxido de zinco em cosméticos também é destacável para adultos, que está presente em protetores solares e outras opções de produtos.

 

Para que serve? Dentro da medicina, o óxido de zinco é encontrado em tratamentos para enfermidades dermatológicas como eczemas, dermatites de variados tipos, psoríase, vermelhidão na pele, acne e queimaduras. Também é utilizável para pomadas e cremes, desde que tenha concentração entre 10% a 15%. Para acnes e espinhas, o óxido de zinco costuma ser usado para prepara máscara secativas, com intuito de remover esses incômodos faciais. É utilizada durante a noite, para que na próxima manhã, tenha a lavagem removedora do produto. Assim, a qualidade de vida melhora constantemente no cotidiano do consumidor.

 

O que é bandagem de óxido de zinco?  É caracterizada como uma técnica de cura para tratamentos de eczema, flebite. Tromboflebite, insuficiência venosa crônica, úlceras varicosas e outras doenças. O óxido de zinco, nesses casos, é utilizado como bandagem para ter maior velocidade de cura nos indivíduos. Também é denominada de Bota de Unna ou Pasta de Unna. Essa técnica é feita com o óxido de zinco, misturado com água, glicerina e gelatina, formando uma pasta grossa. Por fim, espalha-se essa pasta por toda a região afetada, que acaba sendo coberta por uma camada tripla de ligaduras.

 

Proteção Solar com o óxido de Zinco: o óxido de zinco ainda atua como forte inibidor de radiação ultravioleta. Tem eficácia comprovada por pesquisas. Não apenas no filtro físico, impedindo que os raios penetrem a pele, mas também pelo filtro eletromagnético, já que as radiações UVA e UVB são inteiramente refletidas por suas partículas que funcionam como espelhos para essas ondas. É por isso que se encontra óxido de zinco em produtos tanto para bebês, quanto para adultos, pois ele é um componente de variadas formulações químicas dermatológicas. Tratamentos para manchas de pele, por exemplo, é um dos mais frequentes que usam esse derivado zinco, demonstrando sua importância para os tecidos epiteliais.

 

Sulfato de Zinco

O que é? Sulfato de Zinco é o composto químico de fórmula ZnSO4, que é produzido por uma reação de simples troca entre um metal de zinco (Zn2) e ácido sulfúrico (H2SO4). O cátion de zinco se une ao íon sulfato, enquanto é liberado o gás de hidrogênio. Assim, obtém-se o sal que é muito usado para produtos e suplementos. Sulfato de zinco é usado principalmente para tratamentos que envolvem os benefícios destacados do zinco, como imunidade, pele, cabelo, diabetes, gravidez e até hipertensão. Entretanto, é preciso que esteja sempre vinculado à uma receita médica, pois não é aconselhável usar por conta própria, por ser um produto de delicada ingestão.

 

Para que serve? Proteção contra a pneumonia talvez seja o principal benefício que o sulfato de zinco pode trazer. Não somente ele, mas qualquer produto que tenha presença do metal em sua composição química. O sulfato de zinco também é usado no tratamento para pessoas carentes do mineral, por questões genéticas. Se a herança parental apresentar carência de zinco em seus respectivos organismos, o filho, como é o resultado genético da herança conservativa de 50% do DNA parental, provavelmente terá o mesmo problema ao nascer. Com isso, ao logo do tempo, reposições de zinco por suplementação são necessárias.

 

Como usar? Sulfato de zinco pode ser usado de variadas formas, mas a principal é pelos comprimidos. Ele é indicado como tratamento coadjuvante para casos sérios de diarreia por exemplo, atuando de forma que diminua gradualmente o problema. Outra maneira é a solução oral, que é usada para medicamentos a base de zinco, receitada para dietas restritivas e inadequadas. A OMS (organização mundial da saúde) e UNICEF recomendaram que o uso de zinco para diarreia seja como um parceiro para hidratação de crianças em casos de problemas que possuam relação direta com desidratação. Sendo assim, não se deve usar sulfato de zinco como principal alternativa para essas enfermidades.

 

Contraindicações e efeitos colaterais: Os efeitos colaterais do sulfato de zinco só irão aparecer, caso tenha maiores quantidades ingeridas do que a dosagem necessária para o corpo. Eles podem ser náuseas, vômitos, dores de cabeça, diarreia, letargia e fadiga! Outras reações adversas não foram registradas.

O sulfato de zinco é contraindicado para qualquer pessoa que tenha alguma hipersensibilidade de componentes do sulfato de cálcio. Além disso, não deve ser usada por mulheres grávidas ou em fase de amamentação, sem a orientação médica ou de um cirurgião-dentista. Ademais, crianças menores de 12 anos, também não devem realizar a utilização do sulfato de zinco, pelo o organismo não apresentar maturidade suficiente.

 

Para que serve o Zinco?

O zinco pode atuar, principalmente, como influenciador e estimulante de enzimas, em que suas atividades são necessárias para nosso metabolismo, como dito anteriormente. Além disso, o mineral pode atuar de forma efetiva em outras funções do corpo, como desenvolvimento do sistema imune, que ajuda na prevenção de doenças.

 

As adversidades geralmente evitadas pelo zinco são: Alzheimer, Depressão, Diabetes, Pressão arterial desregulada, níveis de Colesterol desajustados, Baixa Imunidade, Pneumonia e infecções intrauterinas durante a gravidez.

 

Pode atuar também como estimulante no sistema endócrino para a síntese de hormônios sexuais, como testosterona e progesterona, especialmente na fase da adolescência, permitindo adquirir a maturidade sexual com sucesso. Como coadjuvante da respiração celular, ajuda na produção de ATP para o corpo indiretamente.

 

Outros benefícios do Zinco:

Fora todos esses pontos positivos que relatamos no tópico anterior, o zinco propicia vantagens estéticas para seus consumidores. Por exemplo, é possível realizar tratamentos para a saúde da pele como a vitamina de zinco, como o combate a acnes e eczema e ferramenta para beleza como prevenção à queda de cabelo.

 

No caso das acnes, se houver uma lesão, o zinco diminui consideravelmente a inflamação ocorrida, pois ele contribui no processo de secreção sebácea da pele. A queratina produzida normalmente afeta os poros, formando a acne, mas com o uso de zinco, ele controla esse prejuízo e cicatriza-o de forma eficaz. Veja todos os benefícios do zinco, de maneira detalhada;

 

Controle de diabetes: O zinco pode regular os níveis de glicose no sangue, sendo extremamente importante para o tratamento dessa doença. O número de pessoas que são auxiliadas por esse benefício, é cada vez maior. Por isso, a ocorrência da melhora é resultado das diversas enzimas que o zinco possui em sua composição.

 

Com elas inseridas na circulação sanguínea, o rompimento de ligações glicosídicas e maior, o que parte as glicoses em pedaços cada vez menores, com intuito de usá-las para a produção de energia, na Respiração Celular. Assim, a quantidade do monossacarídeo é diminuída aos poucos, melhorando os sintomas dessa enfermidade.

 

Bom para a pele: Os efeitos do zinco no tecido epitelial são diversos. Isso ocorre pelo fato de apresentar numerosas enzimas em suas porções de alimentação. A primeira vantagem é a ação cicatrizante que obtém no organismo. Ferimentos são curados por colaborar na formação de novas células epiteliais, renovando o tecido e garantindo melhor recuperação do consumidor.

 

Além disso, o zinco influencia na diminuição da produção de sebo das glândulas sebáceas do nosso corpo. Isso acarreta uma estabilidade na saúde da pele, já que sebos representam grandes problemas, caso sejam agravados. Dessa forma, é possível observar tamanha importância do mineral para a humanidade.

 

Previne queda de cabelos: O zinco ainda pode oferecer maior quantidade de toxina botulínica e aumentar os seus efeitos, causando maior durabilidade e fortificação dos fios de cabelo do consumidor. Essa toxina age, de modo que o envelhecimento seja retardado e a pele tenha sua saúde mais jovem.

 

Entretanto, um benefício indireto é a saúde capilar do consumidor. Com os fios mais fortes e o couro cabeludo com maior circulação sanguínea, o cabelo, além de hidratado, demonstra maior brilho e rejuvenescimento. Fios brancos são descartados, já que a vitamina de zinco atua contra o envelhecimento precoce.

 

Acne e eczema: o zinco diminui consideravelmente a gravidade de lesões na pele facial, principalmente. Essa vantagem aos consumidores da vitamina, deve-se ao fato de ter propriedades que realizam queratinizarão da epiderme, uma maneira de deixar o tecido epitelial mais nutrido.

 

Dessa forma, o zinco evita o surgimento de acnes eczemas, por oferecer esses benefícios citados acima. A secreção sebácea é aumentada, o que impede a obstrução de poros e a eczema é diminuída, devido a suplementação do mineral, que amplia a cicatrização da pele. Por isso, vitamina C e zinco são comumente encontrados juntos em cápsulas.

 

Quais as formas e como tomar?

As maneiras de ingerir o Zinco podem ser resumir em cápsulas, em pó ou diretamente da alimentação, ingerindo alimentos que o contenha. Antes de prosseguir a leitura, é valido ressaltar que procure um nutricionista antes de consumir, pois cada corpo possui suas necessidades de forma específica e apresentaremos apenas dados gerais de consumo.

 

Sobre onde comprar zinco, você pode encontrar nas lojas comuns, por ser presente em alimentos, lojas de produtos naturais, caso queira formas de suplementação ou em pó, mercearias, supermercados e muito mais! Veja a seguir, as principais formas de uso do zinco e quais são as respectivas dosagens;

 

Alimentos ricos em zinco: A alimentação saudável é algo que todos nós devemos ter cuidado e atenção! Com o zinco, não seria muito diferente. A importância de conter zinco no cardápio diário é intensa e constante. Muitas pessoas possuem carência do mineral, devido à falta de ingestão desses alimentos, o que pode ser facilmente resolvido.

 

Você poderá encontrar zinco em carnes, peixes, ostras, camarão, gema de ovo, leite integral, amendoim, castanha de caju e sementes de linhaça. Caso tenha dificuldades de inserir alimentos ricos em zinco normalmente no seu cotidiano, você pode procurar um nutricionista, que ele montará uma dieta balanceada e adequada para a inserção do sal mineral.

 

Zinco em cápsulas: A atual biotecnologia dos benefícios de injetar potenciais nutrientes na forma de cápsulas, com finalidade de aumentar a praticidade de consumo, necessidade de parcela da população, que não possui tempo para preparar receitas e outros modos de uso. Assim, a suplementação de zinco é altamente demandada.

 

Para usar o zinco em cápsulas, é preciso consumir 25mg de zinco por dia. Seja antes ou depois das refeições. No caso das cápsulas, pode ser que seja 1 unidade ou 2, (dependendo do fabricante). Por isso, é preciso sempre verificar o rótulo, para impedir a ocorrência de situações indesejadas, como efeitos colaterais.

 

Em pó: Essa forma de uso do zinco baseia-se no preparo de pastas para massagear a pele e couro cabeludo, com intuito de nutrir essas áreas e fortificar os fios de cabelo. Para preparar, basta utilizar o pó com óleo de coco e água, misturar, até parecer um aspecto mais pastoso. Pronto! Agora é só usar!

 

Tem Efeitos Colaterais?

A princípio, a suplementação de zinco pode afetar o organismo humano caso seja ingerida em excesso pelos usuários. Normalmente, nessa situação, podem ocorrer casos de gosto ruim na boca, muita dor no estômago e náuseas. Ademais, o zinco por ser mais reativo que muitos minerais, pode atrapalhar suas respectivas absorções.

 

Com isso, o zinco em excesso poderá causar anemia, isso porque quando está muito presente no corpo, atrapalha a absorção de ferro, principal responsável pela transportação de oxigênio no sangue, para a ocorrência de produção de energia. Assim, haverá sintomas de fraqueza, falta de disposição, desânimo, etc.

Blog Naturemed