Nenhum produto encontrado nessa categoria.

Óleo de Menta

 
O Óleo de Menta tem se tornado cada vez mais popular e é um dos óleos mais vendidos no Brasil atualmente. Tal fato se deve à riqueza de propriedades contidas nele, bem como os benefícios proporcionados a quem o utiliza regularmente e seguindo as recomendações acerca do modo de uso.
 
Sendo assim, o Óleo Essencial de Menta pode auxiliar no tratamento de diversas enfermidades e ainda ajudar no alívio de dores. Dito isso, sua riqueza em nutrientes é responsável por garantir e cumprir todas as vantagens e benefícios provenientes do uso desse óleo.
 
Ainda, é importante ressaltar que o Óleo de Menta apresenta diversas formas de consumo, o que torna extremamente versátil e de muito fácil administração, podendo ser utilizado da forma de preferência. Dessa forma, a maneira escolhida irá depender da utilidade em que o óleo está sendo destinado.
 
Portanto, é necessário entender um pouco mais sobre o Óleo Essencial de Menta. Sendo assim, iremos aprofundar um pouco mais sobre Óleo de Menta para que serve, Óleo de Menta benefícios e Óleo de Menta como usar, além de outras temáticas importantíssimas para compreender melhor seu funcionamento.
 

O que é o Óleo de Menta?

O Óleo de Menta é um óleo essencial que pode ser derivado de ingredientes como a hortelã-pimenta. Além disso, apresenta propriedades tonificantes; estimulantes; refrescantes; expectorantes, inibindo a proliferação de pequenos organismos; e, por fim, descongestionante.
 
 
Dessa forma, o Óleo Essencial de Menta ainda pode ter diversas utilidades, seja em massagens, em inalações ou até mesmo sendo ingerido diretamente via oral. Sendo assim, sua funcionalidade no organismo irá depender, principalmente, do modo como foi utilizado, como é o caso das massagens que servem para diminuir dores musculares.
 
Ainda, esse óleo apresenta inúmeros benefícios para quem o ingere ou o utiliza, sendo essencial para adversidades do dia-a-dia. Desse modo, pode-se dizer que o Óleo de Menta é um verdadeiro aliado em diversas ocasiões e situações até mesmo de desconforto, como dores de cabeça ou problemas intestinais.
 
Por fim, o Óleo Essencial de Menta tem muito a acrescentar na rotina e saúde de quem o consome, sendo um medicamento “coringa” para diversas situações. Por isso, é importante aprofundar cada vez mais os conhecimentos acerca dele e, dessa forma, expandir as funcionalidades dele em seu organismo.
 

Quais os nutrientes do Óleo de Menta?

Como dito anteriormente, o Óleo de Menta apresenta incontáveis benefícios para a saúde humana, podendo ser um aliado para enfrentar as adversidades. Desse modo, é sempre importante tê-lo por perto, para não ter que passar por tais situações sem ter uma solução para seus problemas.
 
No entanto, é certo que todos os benefícios são proporcionados pela grande diversidade de nutrientes presentes na composição do Óleo Essencial de Mente. Dito isso, tais nutrientes são responsáveis por funções específicas no organismo humano que desencadeiam a solução dessas adversidades que tanto estamos falando!
 
Dessa forma, faz-se necessário conhecer melhor todos os nutrientes presentes no Óleo de Menta e seus respectivos mecanismos de ação. Por isso, preparamos uma lista exclusiva com os principais nutrientes do Óleo de Menta e suas conseguintes funções. Confira abaixo quais são eles!
 
Manganês: O manganês desempenha importante papel na absorção de cálcio, regulação da glicose no sangue, para a formação óssea, na cicatrização de feridas e na função nervosa. Além disso, atua como um co-fator para enzimas antioxidantes e é essencial para o metabolismo de carboidratos, lipídeos, aminoácidos e do colesterol.
 
Ferro: O ferro é importante para o bom funcionamento das células e para a síntese de DNA e metabolismo energético. Ainda, tem a função de transportar oxigênio para o músculo em atividade na hemoglobina.
 
Magnésio: O magnésio é importante para a formação dos ossos e dentes e para o funcionamento normal dos nervos e dos músculos. Além disso, está relacionado ao metabolismo do cálcio e ao metabolismo do potássio e diversas enzimas do corpo dependem dele para funcionar normalmente.
 
Cálcio: A principal função do cálcio é garantir a rigidez e resistência dos ossos e dentes. Ainda, ele tem papel muito importante para as atividades celulares, tornando-se um elemento indispensável para a transmissão de impulsos nervosos, contrações musculares e coagulação do sangue.
 
Potássio: O potássio exerce um importante papel na manutenção da função cardíaca, além de desempenhar papel fundamental na contração do músculo esquelético, beneficiando a digestão normal e a função muscular.
 
Cobre: O cobre é responsável por auxiliar no metabolismo energético, no funcionamento do sistema imune, na pigmentação de cabelo e pele, no transporte de ferro no organismo, na manutenção dos tecidos conjuntivos, além disso, atua como um antioxidante, ajudando na proteção dos danos causados pelos radicais livres.
 
Ômega 3: O ômega 3 atua como anti-inflamatório e protetor das células no organismo, dessa forma, ele garante o bom funcionamento do cérebro, sendo responsável por melhorar a memória e o raciocínio.
 
Vitamina A: A vitamina A é uma importante aliada na manutenção da saúde dos olhos, proporcionando benefícios à visão, além de ter uma importante atuação na manutenção da saúde da pele e proporcionar o crescimento.
 
Vitamina C: A vitamina C é importantíssima para o organismo, uma vez que possui papel antioxidante, auxilia na manutenção das paredes dos vasos sanguíneos, manutenção da função imunológica normal, reparação de tecidos, previne o escorbuto, atua na absorção do ferro, garante melhora na fertilidade masculina, atua na defesa do organismo contra infecções e, finalmente, garante a formação das fibras de colágeno.
 

Quais os tipos de Óleo de Menta?

Como vimos, o Óleo de Menta é extremamente benéfico à saúde humana e apresenta uma riqueza de nutrientes, responsáveis pela concretização dessas vantagens. Dito isso, é certo que ele é necessário para manutenção da saúde e apresenta importantíssimas funcionalidades dentro de nosso organismo.
 
Sendo assim, é importante saber que existem diversos tipos de Óleo Essencial de Menta, diferindo-se apenas em sua funcionalidade e modo de uso. Por isso, iremos listar abaixo os principais tipos de Óleo de Menta para que você possa utilizá-los da forma adequada. Confira-os abaixo!
 
Óleo de Menta para cabelo: O Óleo de Menta para cabelo pode auxiliar em seu crescimento rápido, além de auxiliar em seu fortalecimento. Dessa forma, é um método natural e não agressivo para o crescimento rápido e forte de seu cabelo.
 
Óleo de Menta para sinusite: O Óleo de Menta para sinusite pode ser usado esfregando o produto no nariz para fazer o efeito desejado. Dessa forma, ao passar o Óleo de Menta no rosto, você perceberá um alívio dos sintomas da sinusite.
 
Óleo Essencial de Menta para massagem: O Óleo Essencial de Menta ainda pode ser usado como apoio em massagens, sendo responsável pelo alívio de tensões e dores musculares.
 
 

Para que serve o Óleo de Menta?

O Óleo de Menta pode apresentar inúmeras funcionalidades em nosso organismo, sendo esse efeito condicionado pelo modo de uso do produto. Por isso, é preciso atentar-se às recomendações quanto à funcionalidade esperada e seguir as instruções, seja por inalação, via oral ou uso tópico.
 
Dito isso, a principal serventia do Óleo Essencial de Menta é o alívio de tensões e dores musculares. Tal efeito é obtido por meio de massagens na área afetada, o que acaba por estimular aquela região e, devido às propriedades presentes no óleo, faz-se possível o alívio dessas dores.
 

Outros benefícios do Óleo de Menta:

Como sabemos, o Óleo de Menta é um medicamento rico em nutrientes e, consequentemente, em benefícios. Mas afinal, quais são esses benefícios que são tão falados e como eles podem auxiliar na melhora da saúde humana, garantindo o bom funcionamento do organismo?
 
Bom, é certo que devemos conhecê-los a fundo para que seja possível desfrutar de todos os benefícios de forma consciente. Por isso, preparamos abaixo uma lista exclusiva com os principais benefícios do Óleo de Menta e seus respectivos impactos no organismo. Confira a seguir!
 
Redução do mau-hálito: O Óleo Essencial de Menta pode contribuir para a redução do mau-hálito persistente. Para isso, você deve pingar duas gotas na escova de dente, substituindo o creme dental. No entanto, seu uso não deve ser descartado, apenas intercalado.
 
Contra prisão de ventre: O Óleo de Menta pode agir como um laxante natural. Dessa forma, para garantir o efeito, deve-se adicionar de duas a três gotas em um copo de água e bebê-lo em jejum. Ainda, massagens locais com o óleo podem auxiliar no alívio de constipações.
 
Bom funcionamento do intestino: O Óleo Essencial de Menta mostrou-se muito eficaz para o bom funcionamento do intestino, principalmente como solução para casos de azia, má digestão, enjoo, flatulência e inquietação gástrica.
 
Alívio de dores de cabeça: O Óleo de Menta pode auxiliar, ainda, na redução e alívio de dores de cabeça. Para tal efeito, é preciso ingerir uma gota em diluída em um copo de água e, com as pontas dos dedos, massagear o ponto principal da dor usando o óleo.
 
Efeito relaxante: O Óleo Essencial de Menta tem um incrível efeito relaxante. Dessa forma, ele amplia a potencial respiratório, acalma os nervos, estimula o relaxamento e ocasiona o sono. Para tanto, basta uma gota do óleo diluída em um copo de água e ingerida meia hora antes de dormir ou então esfregá-lo com as mãos e inalado em forma de concha.
 
Neutraliza odor: O Óleo de Menta, ainda, pode auxiliar a neutralizar odores, como chulé. Dessa forma, basta pingar duas gotas do óleo no interior do sapato ou do tênis. Ainda, recomenda-se esfregá-lo aos pés, visto que quando colocado entre os dedos ajuda a prevenir frieiras e quando utilizado sobre os calos dos pés, torna a remoção mais fácil destes.
 
Alívio de dores musculares: O alívio de dores musculares pode ocorrer por meio de massagens locais ou então pela inalação com Óleo de Menta. Para tanto, faz-se necessário 500 ml de água fervidos e adicionar de 2 a 4 gotas do óleo, dessa forma, basta fazer a inalação profunda com o vapor.
 
Alívio da gripe: Para utilizar o Óleo de Menta como alternativa para o alívio da gripe, basta realizar a inalação descrita anteriormente, ou então esfregá-lo sobre o rosto e faces, como forma de aliviar até mesmo a sinusite. Ainda, outra alternativa, é utilizá-lo em chás, como forma de aliviar os sintomas da gripe e resfriados.
 

Quais as formas de uso e como tomar?

O Óleo de Menta é essencial para a manutenção da saúde humana e pode ser um verdadeiro aliado na rotina estressante e até mesmo como solução para algumas adversidades do dia-a-dia. Dito isso, é preciso conhecer todas as formas de uso que esse óleo proporciona, para utilizá-lo adequadamente.
 
Nesse sentido, é certo que o óleo apresenta uma variedade de formas de uso, podendo ser utilizado a qualquer momento do dia e da forma que o consumidor achar mais prática de acordo com sua rotina. Dessa forma, ele pode ser aplicado tanto por uso tópico, quando via oral ou então acrescentado a outros produtos.
 
Sendo assim, é muito importante conhecer todas as formas de uso do Óleo Essencial de Menta, bem como a melhor maneira de administrá-lo adequadamente. Por isso, preparamos uma lista exclusiva com as principais formas de uso do óleo e como tomá-las adequadamente. Veja a seguir!
 
Óleo Essencial de Menta: O Óleo Essencial de Menta, como dito anteriormente, pode ter diferentes aplicações, sendo elas via oral, uso tópico ou até mesmo adicionado a outros produtos, irá depender da funcionalidade almejada.
 
Óleo de Menta em cápsulas: Recomenda-se o consumo de 1 cápsula de softgel ao dia, aproximadamente.
 
Chá de Óleo de Menta: O chá de Óleo de Menta pode ser preparado para o alívio de gripes e resfriados, bastando á adição de duas gotas do óleo.
 

Tem efeitos colaterais e contraindicação?

Por se tratar de um produto essencialmente natural, o consumo adequado de Óleo de Menta não apresenta efeitos colaterais, sendo eles raramente ocorrentes. No entanto, é preciso atentar-se para não consumi-lo em excesso, uma vez que, quando em excesso, pode causar efeitos colaterais indesejados.
 
Por fim, seu uso é contraindicado em gestante e recomenda-se que em caso de contato com os olhos, lavar com água em abundância. Sendo assim, lembre-se sempre de consultar um médico ou nutricionista antes de introduzi-lo em sua rotina, para que o profissional possa indicar o melhor modo de uso e a quantidade correta de dosagem diária.

Blog Naturemed