Nenhum produto encontrado nessa categoria.

Luteína

 

Bastante conhecida como uma vitamina para os olhos, a Luteína é um poderoso antioxidante carotenóide, que é muito popular por sua capacidade em proteger e melhorar a saúde dos olhos. Trazendo a realidade dos fatos, as vitaminas para os olhos que possuem luteína, são na verdade uma das melhores e mais utilizadas vitaminas para a degeneração macular. 

 

Para saber se você tem ingerido uma quantidade suficiente e necessária para o seu organismo de luteína, olhe para o seu prato. Quantas cores você vê? De acordo com sua resposta você saberá se há uma boa ingestão de luteína. Isso porque, assim como diversos outros antioxidantes, a luteína é encontrada em alimentos de cores vivas como as frutas e os vegetais.

 

É fácil identificar quais frutas e vegetais são essas, uma vez que, elas têm coloração mais aproximada do verde escuro, laranja e amarelo. Mas para que você compreenda melhor para que serve a luteína, neste texto iremos evidenciar quais os valores e dosagens, além dos benefícios da luteína. Acompanhe!

 

O que é Luteína?

A luteína é um poderoso carotenóide, falando de uma forma mais simples, um poderoso nutriente que pode ser encontrado em diversas folhas verdes, como a couve, o espinafre, a brócolis e o pimentão. Por mais que a luteína seja um carotenóide bem pequeno, ele possui grandiosos benefícios antioxidantes. Além de neutralizar os radicais livres que são perigosos para o organismo, ele também pode reduzir significativamente o estresse oxidativo.

 

E é justamente, devido aos seus inúmeros benefícios antioxidantes e antiinflamatórios, é que por anos, o uso da luteína tem sido associado a diversas melhorias, principalmente na função cognitiva, na saúde do cérebro, a memória e até mesmo no humor. Diversos estudos demonstraram que, a luteína, em conjunto com outros carotenóides, possuem efeitos poderosos para o aumento de memória, quando tomado diariamente, bem como um impacto na função cognitiva.

 

Outros estudos, ainda demonstraram que pessoas que possuíam altas concentrações de carotenóides no cérebro, apresentaram funções cognitivas muito melhores do que os demais. Além disso, eles puderam verificar que os pacientes com a doença de Alzheimer, são na verdade, deficientes nesses nutrientes. Como mencionamos no início do texto, diversas pessoas pensam na luteína como "a vitamina para os olhos". Todos os estudos e evidências apontam que de fato ela é. 

 

Quais os nutrientes da Luteína?

Qualquer pessoa que tenha uma alimentação diária equilibrada e com prato bem colorido de vegetais provavelmente contém um pouco de carotenóide em seu organismo, além, claro, de outros diversos antioxidantes essenciais. Uma vez que o corpo humano não pode sintetizar a Luteína por conta própria, é muito importante que esses nutrientes sejam introduzidos por meio de uma dieta, e em alguns casos, através de suplementos. 

 

A complementação da Luteína deve ser feita para que não haja um baixo índice desse antioxidante no corpo, facilitando assim o desenvolvimento de doenças. Por isso, como você já sabe que a ingestão de frutas e vegetais é muito bom para o seu organismo, saiba quais os principais nutrientes presente na Luteína. 

 

Vitamina E: Como é conhecida, a vitamina E tem uma poderosa ação antioxidante no organismo. Com uma ação direta no combate aos radicais livres, suas propriedades contribuem para evitar que esses radicais prejudiquem a saúde das nossas células. A vitamina E está presente na luteína, contribuindo para a diminuição dos riscos de doenças degenerativas, como os diversos cânceres e doença de Alzheimer.

 

Vitamina C: Outra vitamina que também sabemos bem acerca de suas propriedades é a nossa querida vitamina C, que tem entre suas principais vantagens ser um poderoso antioxidante. Com a presença dessa vitamina na luteína, seu papel principal é cuidar das células que estão sadias no organismo, evitando as ações dos radicais livres. Além da alimentação rica em Vitamina C, a suplementação é também extremamente importante para complementar a ação da luteína, contra o envelhecimento geral do corpo.

 

Zinco quelado: Todo mundo sabe dos grandes benefícios do zinco. As suas principais funções são benéficas não só para a manutenção da boa saúde, mas a suplementação de zinco garante uma boa saúde reprodutiva, tanto para homens quanto para as mulheres. Os benefícios não param por aí, o zinco também contribui para a manutenção do peso e da saúde em geral. 

 

Luteína e Zeaxantina: Esses dois suplementos naturais são importantíssimos para manter uma dieta ricamente equilibrada e a saúde em geral boa. A Luteína e Zeaxantina estão presentes em verduras e legumes como, o espinafre, rúcula, brócolis, couve-flor, a laranja, mamão, abóboras e entre outros. É importante saber que esses alimentos, em conjunto com a suplementação, têm importante função antioxidante. A Luteína é responsável por essa função, além da prevenção de doenças oculares, em conjunto a Zeaxantina, garantem uma proteção maior à exposição de luz prolongada.

 

Para que serve a Luteína?

Com o avançar da idade, é muito comum que existe a propensão na redução de luteína dos tecidos oculares, e isso pode facilitar consideravelmente o surgimento de diversas doenças presentes nos olhos, como por exemplo, a Degeneração Macular Relacionada à Idade, mais conhecida como a DMRI.

 

Uma vez que a Luteína é amplamente conhecida por sua função protetora dos olhos e também da visão, isso porque através da suas propriedades, ela pode reduzir significativamente a incidência de luz que causa grandes danos à retina, além de ter uma importante função em filtrar a luz azul, que é bastante prejudicial à mácula, que é uma pequena estrutura da retina responsável pela visão de detalhes. 

 

Por ser um grande e poderoso antioxidante, a capacidade protetora da luteína contra o desenvolvimento das doenças degenerativas, e algumas delas podemos citar a catarata, o câncer e doenças cardiovasculares, ela está intimamente relacionada ao seu consumo, sendo assim, é necessária uma ingestão regular de luteína, para beneficiar a sua ação contra os radicais livres.

 

Outros benefícios da Luteína:

Como vimos até aqui, os suplementos de luteína, são normalmente utilizados para o tratamento de doenças oculares, como catarata e degeneração macular. Como pesquisas apontam que ela se acumula na retina e também na lente do olho, acredita-se que a luteína protege o olho de lesões ocasionadas por radicais livres, subprodutos químicos que danificam as células e contribuem para o desenvolvimento de diversas doenças degenerativas. 

 

Alguns especialistas da medicina no campo da medicina alternativa, afirmam que os suplementos de luteína também podem contribuir de forma significativa para a prevenção de diversas condições, como o câncer de cólon, o câncer de mama, a diabete e doenças cardíacas, como já mencionadas aqui.

 

Até o momento, a maioria dos estudos sobre os benefícios da luteína para a saúde, tem sido basicamente sobre a ingestão alimentar e a suplementação de luteína. Esses estudos apontam que a ingestão alimentar e suplementar de luteína pode ajudar a proteger tanto contra a aterosclerose, quando à degeneração macular relacionada à idade e catarata. 

 

Para compreendermos melhor todos esses benefícios da luteína aqui mencionados, a seguir veremos com exemplos, como cada uma funciona e como a suplementação de luteína pode beneficiar a saúde em vários aspectos, além de ver outros diferentes benefícios da luteína para a saúde, e eles são:

 

Degeneração Macular Relacionada à Idade: Os suplementos de luteína, como vimos, podem melhorar significativamente a função visual em pessoas com a degeneração macular relacionada à idade, uma das principais causas de cegueira. Segundo um estudo com cerca de mais de 100.00 pessoas, foi possível descobrir que pessoas que fizeram uma maior ingestão de luteína e zeaxantina, apresentaram um risco bem menor de desenvolver a degeneração macular relacionada à idade em longo prazo.

 

Função Visual: Em um estudo feito com algumas pessoas saudáveis, alguns pesquisadores observaram que as pessoas que fizeram o uso de suplementos de luteína por 12 semanas, apresentaram melhorias consideráveis na função visual. Ainda segundo esse estudo, resultados obtidos sugeriram que a suplementação de luteína pode contribuir para o tratamento de problemas de visão, causado pela exposição á longo prazo à luz das telas de computador. 

 

Outros benefícios para a saúde ocular: As pesquisas são importantes para entendermos como um suplemento pode ser realmente benéfico. Um estudo concluiu que existe uma infinidade de estudos, que defendem os diversos efeitos benéficos da luteína na saúde dos olhos. Alguns pesquisadores afirmaram que não somente uma dieta rica em vegetais e frutas contendo luteína devem ser prescritas, mas a suplementação é muito importante para pessoas, que principalmente possuem a deficiência desse antioxidante no organismo, e particularmente em populações com alto risco de certas doenças, como os idosos.

 

Pode ajudar a diminuir o risco de diabetes: Outro benefício muito interessante da luteína que tem chamado a atenção de especialistas é em sua ação capaz de controlar os grandes níveis de açúcar no sangue. E isso pode ser bastante benéfico para pessoas que possuem diabetes ou complicações relacionada aos altos níveis de açúcar no sangue. 

 

Um estudo conduzido em ratos diabéticos descobriu que a suplementação com luteína e DHA, tipo de ácido graxo ômega-3, ajudou de forma significativa a normalizar todas as modificações bioquímicas induzidas pelo diabetes. Comparando com o grupo de controle, os ratos diabéticos que tomaram os suplementos de luteína, apresentaram taxas bem mais baixas de estresse oxidativo e menos danos à retina dos olhos, apesar de estarem em condições hiperglicêmicas.

 

Quais as formas de uso e como tomar?

Embora seja melhor obter o suficiente desse antioxidante de forma mais natural possível, através de uma dieta saudável rica em alimentos antiinflamatórios, os suplementos nutricionais são também bastante indicados por especialistas, para a complementação de nutrientes e podem ser utilizados por algumas pessoas para ajudar a aumentar os níveis de luteína no organismo.

 

Em diversas pesquisas, os suplementos de luteína têm sido utilizados com segurança em doses de até 10 mg por dia,  por cerca de até dois anos. Além disso, os especialistas em saúde ainda observam que tomar até 20 mg de luteína da dieta e dos suplementos podem ser muito seguro. É importante mencionar que doses muito altas de luteína podem causar uma doença chamada carotenemia, ou amarelecimento da pele, mas que é inofensiva.

 

Quais as formas de uso e como tomar?

Cápsulas: Para aumentar os níveis dos carotenóides em pessoas que possuem condições como a degeneração macular, a indicação é de consumir cerca de 20 mg de luteína diariamente. Essa indicação é geralmente de pelo menos durante 3 meses, logo após, começa a reduzir para a dosagem diária de 10 mg de luteína. 

 

Extrato seco: A ingestão de luteína na forma de extrato seco que é geralmente em 10%, o consumo diário recomendado é de cerca de 5 a 20mg, com um máximo de até 25mg no dia. Para o tratamento de degeneração macular, um acompanhamento de dosagens deve ser feito.

 

Tem efeitos colaterais e contra-indicação?

Os suplementos de luteína são, em diversas recomendações de especialistas, bastantes seguros quando tomados por via oral em quantidades adequadas. Alguns pacientes, como por exemplos os que possuem câncer de pele ou fibrose cística precisam ter um cuidado especial ao considerar a suplementação de luteína, e sempre conversar com um médico especialista antes.

 

Nestes dois casos específicos, é importante observar, sobretudo, a quantidade de luteína ministrada, isso porque pessoas que possuem a fibrose cística, por exemplo, podem não absorver de uma forma adequada alguns carotenóides dos alimentos e podem apresentar níveis mais baixos de luteína no sangue. Já no câncer de pele é também importante avaliar a quantidade, porque níveis muitos altos de luteína podem acabar sendo prejudiciais. 

 

Como em todas as recomendações de suplementos, é importante que, gestantes, lactantes e crianças sempre consultem um médico antes de fazer a suplementação de luteína e também tenham uma atenção muito especial quanto à quantidade de luteína no organismo, não é recomendado fazer a auto suplementação, sendo muito importante consultar um médico antes. 

 

Por fim, e ainda muito importante ter em mente que o acompanhamento médico é extremamente aconselhável para a ingestão de qualquer suplemente, a luteína em questão pode fornecer doses diferentes da quantidade especificada para cada pessoa. Nunca se automedique ou faça algo fora da orientação do seu médico.

Blog Naturemed